Março 2018

14/03

17:30

SESSÃO PIPOCA – SESC RONDONÓPOLIS - Rondonopolis - Espaço Cultural
  • O CASTELO NO CÉU
    (Tenku no Shiro Rapyuta. Direção: Hayao Miyazaki, Japão, Animação, Dublado, 1986, 124 min)
    Pazu, um aprendiz de engenheiro, conhece uma jovem garota dona de um colar brilhante, Sheeta, e descobrem que ambos estão procurando pelo legendário castelo flutuante. Assim começa uma aventura com piratas gananciosos dos céus, agentes secretos e obstáculos que tentam esconder a verdade e resgatar o misterioso colar.
    07/03 | 17h30 | Cinema | Ingresso: 1 litro de leite UHT | Livre

    31 MINUTOS - O FILME
    (Direção: Alvaro Díaz, Pedro Peirano, Brasil/Chile, 2012, 80 min)
    Juanín atua como produtor no famoso noticiário de TV 31 Minutos. Ele é o último de sua espécie, uma raridade que desperta o interesse de uma malvada colecionadora de animais em extinção conhecida como Cachirula. Ela só precisa precisa dele para completar sua exótica coleção. Contando com a ajuda de Tio Careca, ela dá início a uma caçada pelo último membro dos juanines. Juanín acaba raptado e levado até o fantástico castelo de vilão, onde são mantidos todos os animais de sua coleção. A atrapalhada equipe do programa 31 Minutos irá procurar pelo amigo e companheiro de trabalho, sem saber que acabarão enfrentando um verdadeiro exército.
    14/03 | 17h30 | Cinema | Ingresso: 1 litro de leite UHT | Livre

    PORCO ROSSO
    (Kurenai no buta. Direção: Hayao Miyazaki, Japão, Animação, Dublado, 1994, 93 min)
    Na Itália entre as duas guerras, caçadores de prémios ganham a vida a lutar contra os piratas do ar que aterrorizam o Mar Adriático. Um deles é Marco Porcellino, mais conhecido por Porco Rosso. Gina, cantora e proprietária do Hotel Adriano, situado numa pequena ilha, não desiste de tentar convencê-lo de que vale a pena procurar a humanidade, mas Porco resiste a falar do passado e detesta o único vestígio desses tempos – uma fotografia que mostra o seu rosto antes de assumir os agora característicos contornos porcinos.
    28/03 | 17h30 | Cinema | Ingresso: 1 litro de leite UHT | Livre

14/03

17:30

SESSÃO PIPOCA - 31 MINUTOS - O FILME - Rondonopolis - Cinema
  • (Direção: Alvaro Díaz, Pedro Peirano, Brasil/Chile, 2012, 80 min)

    Juanín atua como produtor no famoso noticiário de TV 31 Minutos. Ele é o último de sua espécie, uma raridade que desperta o interesse de uma malvada colecionadora de animais em extinção conhecida como Cachirula. Ela só precisa dele para completar sua exótica coleção. Contando com a ajuda de Tio Careca, ela dá início a uma caçada pelo último membro dos juanines. Juanín acaba raptado e levado até o fantástico castelo de vilão, onde são mantidos todos os animais de sua coleção. A atrapalhada equipe do programa 31 Minutos irá procurar pelo amigo e companheiro de trabalho, sem saber que acabarão enfrentando um verdadeiro exército.

14/03

19:30

CLUBE ARSENAL DE LEITURA - TEMA: A INVENÇÃO DO SILÊNCIO - Arsenal - Laboratório da Palavra
  • Abrir espaços para desconstruir o silêncio: um silêncio absolutamente arcaico e imemorial, inventado por um sistema patriarcal sustentado pela marginalização do feminino. É a isso o que se propõem os encontros a serem realizados nesse primeiro módulo do Clube Arsenal de Leitura. De que maneira? Recorrendo à literatura para não só apresentar a voz das mulheres, mas também para desvendar as tramas sutis desse processo de silenciamento.
    Para levantar reflexões acerca de questões de gênero que versam sobre o feminino na sociedade em que vivemos. Não foram escassos os esforços da crítica em garantir o valor de uma obra literária em seu contexto de construção, mas também se evidenciou ao longo do tempo que o sentido de um texto literário se torna substancial a toda e qualquer época. É essa potência, essa singularidade, que garante à produção estética tornar-se atemporal, fazendo-se perpétua, ininterrupta e, portanto, ilimitada. Num percurso pela voz da mulher entre os séculos XIX e XXI, buscaremos observar como esse processo de invenção do silêncio se impôs mas também como, ao mesmo tempo, por meio da narrativa, as mulheres se insurgiram contra ele, abriram brechas, criaram passagens para se fazerem ouvidas, num claro indício de que a obra literária não se encerra em si mesma e pode, também, nos impulsionar a uma imprescindível reflexão crítica sobre a condição de ser Mulher na contemporaneidade.
    MEDIAÇÃO: IN-PRÓPRIO COLETIVO E MARIA ELISA RODRIGUES MOREIRA